segunda-feira, 25 de abril de 2016


O silêncio desenha a voz da madrugada.
Luzes artificiais vão se apagando, gradativamente, acendendo o céu.
"Aquele punhado de estrelas sempre esteve ali?" E assim eu brinco de  me surpreender com as coisas do mundo.
Meu coração, antes acelerado com a força da musica, vai sossegando aos poucos. Minha calma notifica: hora de se instalar. Eu a recebo, mansa.
Gosto desse momento em que posso sentir a vida acontecendo sem justificativas.
O movimento lento. Dia esperando para nascer. Contrações da lua.
Quase ninguém na rua.
Carros recolhendo suas buzinas para o asfalto, finalmente, adormecer.

( Marla de Queiroz )




sábado, 23 de abril de 2016





"E assim baila minha alma cigana...
Com os ventos que sopram do mar, com a firmeza dos pés que pisam na terra, na rocha.
Assim segue minha alma...
Com o encanto das labaredas que dançam ritmadas nas fogueiras e a magia das sete cores que despontam no céu após as tempestades de verão!
Sigo sempre avante, voltando se preciso for, mas nunca desistindo de seguir.
É de poeira da estrada que escrevo minha estória."

( AdriRodrigues- La Niña de las rosas gitanas )



domingo, 17 de abril de 2016



Não sou suave
Sou tormenta,

Embora seja sempre o lado da corda que se arrebenta.

( Be Lins )



quinta-feira, 14 de abril de 2016




Amar um Cigano
É atravessar um mar bravio

Em meio a uma tempestade.
Se tiver medo do desconhecido,
dos Encantos e Feitiços,
É melhor nem colocar
Os pés na Água.
Amar um Cigano,
É atravessar
Esse mar turbulento
Até a margem,
É o calor da fogueira, o vinho, o som
de um violino Flamenco.

(Viviane ribeiro)