terça-feira, 28 de julho de 2015




Vai menina, fecha os olhos. Solta os cabelos. Joga a vida. Como quem não tem o que perder. Como quem não aposta.
Como quem brinca somente. Vai, esquece do mundo. Molha os pés na poça.
Mergulha no que te dá vontade. Que a vida não espera por você. Abraça o que te faz sorrir.
Sonha que é de graça. Não espere. Promessas vão e vem. Planos, se desfazem. Regras, você as dita.
Palavras, o vento leva. Distância, só existe pra quem quer. Sonhos se realizam, ou não.
Os olhos se fecham um dia, pra sempre. E o que importa você sabe, menina.
É o quão isso te faz sorrir. E só.






sexta-feira, 24 de julho de 2015



Uns chamam de "pedra no caminho"; já eu entendo isso como uma resposta da vida, dizendo: -Pausa, respira, reflete melhor sobre as tuas escolhas, pondera.
Aprende, moça: a pedra é só uma desculpa que o caminho encontrou de chamar a tua atenção.

(Bibiana Benites)


terça-feira, 21 de julho de 2015


Olhar cigano, promete noites de luar sem fim
Cheira a canela, almíscar, lavanda e jasmim
Poe na boca, um gosto de morango vermelho
Olhar cigano chama para festa, queima retinas, é uma tocha, um estopim

( Mary Trujillo )






domingo, 19 de julho de 2015

“Ela, na sua magnífica força e coragem,
aprendeu a ser livre;
a gritar quando tem vontade,
a chorar quando precisar chorar
e a sorrir mesmo quando a situação não permitir sorrir.

E, perante os olhos intimadores dos
homens e de tamanha curiosidade,
ela levantou a cabeça e mostrou
que não era
uma boneca de porcelana,
mas que podia ser quebrada
várias vezes
e que sempre conseguia se juntar
sem perder nenhum dos pedaços.”



quarta-feira, 15 de julho de 2015


Á luz da lua ela aparece
Vestida de rubra cor
Na boca o mel é o sabor
Sob as estrelas ela vem
Intrigando com seu mistério
Feiticeira, mulher, fada e menina
Em seus olhos ciganos guarda segredos
Jamais ditos, alguns insanos...
Profanos...
Profundos segredos...

(Adriana Rodrigues)

terça-feira, 14 de julho de 2015




"Sou movida a ventanias e tempestades.
Pode parecer que sou soturna, mas, nas águas do meu desencanto, me encanto e me decanto.
Sou aquilo que você sente, bem mais do que pensa ver.
Não tenho medo do escuro, mas, me mantenho à beira da claridade.
Ela me guia, sempre esguia.
É na força da Terra e na temperança das águas fortes que lavo minh'alma e volto à tona mesmo quando pareço ter afundado.
Amiga do vento, neta da tempestade, filha do tempo, caminho no firmamento."



sábado, 11 de julho de 2015



Não sei porque estamos todos fazendo tantos jogos se no final das contas dormimos frustrados iguais.
É tanta gente fingindo que não sente, tanta gente escaldada não querendo sentir, que já não dá para diferenciar quem é realmente de verdade e quem está apenas gastando as horas.
O discurso é sempre igual e o amanhã vai repetindo as mesmas histórias com personagens que só mudam o nome.
Ninguém mais desce um degrau, mergulha mais fundo, mostra a cara, abre o peito para apresentar o coração.
Todo mundo reclama e pede "mais amor por favor" e eu só desejo profundamente que parem de fazer da vida um tabuleiro, já que nem todo mundo tem vocação (e saco) para bancar a peça.
Faça amor... Não faça jogo...


(Camila Heloise)


quarta-feira, 8 de julho de 2015


"Não viva assim,
pensando que é maior que eu
Só por que o que sente é menor
Os acordes podem mudar
As terças podem se inverter..."



domingo, 5 de julho de 2015


"Rosa dos ventos lunares
bússola superior
pólo norte magnético
instinto migrador..."



quarta-feira, 1 de julho de 2015



"Por trás de sua imagem, sob suas palavras,
Acima de seus pensamentos, aguarda o silêncio de um outro mundo."