domingo, 8 de novembro de 2015



É bom mudar de casa, de janela,

arrumar de outra maneira as ilusões,

tratar de coisas puras como tintas

e sofás, pôr ordem entre os livros

e a vida, simular a liberdade.

Parece-nos possível voltar a acreditar

na mão que nos estende um pé de salsa,

na pechincha da beleza, quando passa

no poente da razão.

Apetece cometer uma loucura,

comprar um telescópio, decorar

o canto nono dos Lusíadas,

subir umas escadas do avesso,



pensar que nunca mais teremos frio.



(José Miguel Silva)



5 comentários:

  1. Estava pensando nisso ontem, quando fiz umas pequenas mudanças aqui no escritório.... no escritório de minha casa...depois de um certo tempo, aquelas coisas importantes.... um livro, um compêndio técnico, algo qualquer que foi importante, torna-se desimportante (a palavra existe???).
    Mudar é bom...faz parte de nosso crescimento! O desapegar-se.... o esquecer... o apagar de vez.
    Gosto de te ler.... gosto muito de te ler! Sei que em outra vida, foste cigana... ou ainda és????
    Vai lá no e-mail do meu blog.. vamos falar-nos....!!!!!
    Temos coisas em comum....

    ResponderExcluir
  2. Geralmente tememos mudanças, principalmente as que afetam nosso modo de viver. Mas são necessárias, principalmente quando nos proporcionam renovação. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Como diria Leandro Hassum: "Uma mistura de bom com ruim.". hehe Tranquilo, mas triste.

    ResponderExcluir
  4. Gostei imenso da sua escolha poética.
    Acho que nunca tinha lido nada deste autor.
    Tenha uma boa semana, querida amiga Frida.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. É bom quando as mudanças não causam estranheza.
    Bom respirar de novo o novo e deixar se levar por este aroma.
    Bonita esta viagem no novo.
    Abraços.
    Beijos de paz.

    ResponderExcluir