segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Sonhe um pequeno sonho comigo



Estrelas brilhando acima de você

As brisas noturnas parecem sussurrar "Eu te amo"
Pássaros cantando no sicômoro
"Sonhe um pequeno sonho comigo"

Apenas diga "Boa noite" e me beije
Oh, me abrace forte e me diga que sente minha falta
Enquanto eu estou sozinho e tão triste quanto é possível
Sonhe um pequeno sonho comigo

Estrelas se apagam, mas eu permaneço, querida
Ainda desejando seu beijo
Eu estou desejando ficar até de madrugada, minha querida
Apenas dizendo isto

Sonhos doces até os raios solares acharem você
Sonhos que deixam todas as preocupações para trás
Mas em seus sonhos, quaisquer que sejam eles
Sonhe um pequeno sonho comigo

Diga "Boa noite" e me beije
Oh, me abrace forte e me diga que sente minha falta
Enquanto eu estou sozinho e tão triste quanto é possível
Sonhe um pequeno sonho comigo

Sonhe um pequeno sonho com você e comigo





Reconstruindo o mundo


O pai estava tentando ler o jornal, mas o filho pequeno não parava de perturbá-lo. Já cansado com aquilo, arrancou uma folha - que mostrava o mapa do mundo - cortou-a em vários pedaços, e entregou-a ao filho.

“Pronto, aí tem algo para você fazer. Eu acabo de lhe dar um mapa do mundo, e quero ver se você consegue montá-lo exatamente como é”.

Voltou a ler seu jornal, sabendo que aquilo ia manter o menino ocupado pelo resto do dia.

Quinze minutos depois, porém, o garoto voltou com o mapa.

“Sua mãe andou lhe ensinando geografia?”, perguntou o pai, aturdido.

“Nem sei o que é isso”, respondeu o menino. “Acontece que, do outro lado da folha, estava o retrato de um homem. E, uma vez que eu consegui reconstruir o homem, eu também reconstruí o mundo”.

(Paulo Coelho)


sábado, 15 de fevereiro de 2014

Essa semana encerramos um ciclo... foi doído, mas... conseguimos, de algum modo conseguimos...
Pensei em como a "espiritualidade maior" me sustentou e em como tenho mais para agradecer, do que reclamar... apesar de noites sem dormir, de sustos, de medos... de chorar compulsivamente debaixo do chuveiro para ninguem ver...
Apesar de tudo, apesar das festas de fim de ano em que passei acordada. nao para comemorar, mas para medicar, cuidar, so ouvindo o riso nas casas vizinhas ...
Apesar dos "sinto muito, mas provavelmente vai ter que internar"... apesar do "nao deu, vamos ter que parar por um tempo"...
Apesar de olhar os ponteiros do relogio correndo tao devagar nas madrugadas... de dormir por quarenta minutos e ter que levantar de novo e sair se arrastando por causa de algum cuidado que precisava ser sanado... e ficar feliz pq tudo serenou e pensar sorrindo:- vou dormir... vou dormir!... e ouvir uma vozinha que vem do quarto ao lado gritando "mamae", e morrer de remorso pq esta deixando-o de lado...
Apesar de estar com os ombros mais encurvados... como me disseram: vc parece estar carregando o mundo todo nas costas?.. To nao ... o mundo todo nao... so boa parte dele... e as vezes realmente é assim que me sinto... mas tenho consciencia que  tem pessoas passando por situaçoes piores...
Apesar de estar nove quilos e meio mais magra... apesar disso tudo, eu consegui... conseguimos...
Ontem vi toda uma equipe vibrar, comemorar... meio de longe fiquei olhando o sorriso no rosto das pessoas, e fiquei feliz de ver pessoas assim, que  realmente ficam felizes com a vitoria dos outros...mesmo que seja uma vitoria pequena...
Uma certa calma me invadiu apos ouvir que terei um mes de  ferias ( é como se fosse assim) e depois dos exames... talvez tenha ainda mais um mes... embora nao esteja fora de riscos, mas é a sensaçao de mergulhar em uma banheira borbulhante e relaxar rs...
Terei que aproveitar parar renovar forças para me preparar para começar o ciclo seguinte... mas é assim... é assim mesmo...
Eu sei que apesar "de"... realmente tenho muito que agradecer ... hj estou apaixonada por mim... orgulhosa daquela mulher que de tao medrosa no principio, teve forças para cumprir com o que tinha que fazer, teve forças para enfrentar a si mesma, vencer seus medos e ajudar... nao existe nada melhor do que saber que nao falhamos com alguem...
Acho que a vida é assim...  se estende a mao para uma pessoa... e la na frente outros vao segurar sua mao quando precisar...
So sei que ontem... depois de todas as lutas, cansaço, de tudo que ainda virá... vi que apesar "de"... tenho muito que agradecer...

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014






"Só quando se vêem os próprios erros através de uma lente de aumento, e se faz exatamente o contrário com os outros, é que se pode chegar à justa avaliação de uns e de outros."
(Mahatma Gandhi)

domingo, 9 de fevereiro de 2014




Teus Anjos e demônios são aquilo que você mesmo alimenta e quer que sejam. Nascem, sobrevivem ou morrem pelo bem ou mal que brota dentro do teu próprio coração. 
(Adriano Hungaro)

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014



Amor querido, é cheio de estradas, de climas, de sons.
Cheio de sorrisos, de trancos e barrancos, de escorregadores e soldadinhos que limpam as dores que escorregam de lá de onde ela vem.
Amor meu bem, pode morar nos olhos, entre a língua e o céu da boca ou nos pés. Não se apresse não, que amor desconhece tempo, amor confunde, mexe no peito, no dia, muda as cores e as coisas de lugar, mas não, não me olhe assim cheio de mar nos olhos, que amor é bonito, doido e as vezes doído, mas bonito, bonito de encher a boca pra falar, sim, é bonito falar com a boca cheia de amor.
Amor meu pequeno, é grande-grande, maior que o meu e teu céu juntos e cabe em nós. Amor é uma poeirinha azul marinho que transforma e transborda. Amor vai e vem, amor mora, amor vai embora sem avisar e deixa a gente sem entender nada direito. Amor embaça a visão, faz música pros ouvidos, arrepia a pele e muda tudo de novo. Amor é isso pra mim, aquilo pra você, outra coisa pro rapaz.
Mas saiba meu bonito, amor é leve, cheio de formas e pedaços espalhados por aí.
 (L.M)




quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014




Quando era menininha, toda vez que algo me aborrecia ou que me deixava triste, pegava meu ursinho velho, me enfiava debaixo da cama de minha mae (era a maior da casa) e ficava quietinha... me sentia protegida...
Escondida, ouvia me chamarem, me encolhia mais, com medo que me achassem...
As vozes chegavam ate mim...
-Bbeiinha, cade voce?
-Coisa , apareça... vou contar ate dez...
-Tutuca, é vovó, cade voce pitiluca?
Eu tentava nao respirar para nao fazer ruido... e ficava ate a dor passar... e sempre passava...
Hoje entrei outra vez debaixo da cama...
E constatei que... ou as camas encolheram... ou minhas dores aumentaram...
O truque da cama nao funcionou...

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014



Toma as minhas mãos,
Minha misteriosa Cigana
Leia agora meu destino
Pois o poeta não se engana

Sei ler o brilho de teus olhos
E sinto o tremor de tuas mãos
Tua respiração está ofegante
Sinto um turbilhão de emoção

Quero me envolver no mistério
Que se esconde em tua silhueta
E me envolve num louco desejo
Quero sentir o calor de teu beijo

Juntemos nossos pulsos
Para, no deslizar do punhal
Nosso sangue misturar
Num excitante ritual.

Quero sentir teu corpo
Colado junto ao meu
Impregnados pelo suor
Desprendido do amor

Uma troca intensa de fluidos
Que a gente jamais sentiu
A trilha sonora dos gemidos
Feito dois animais no cio,

Depois de cumprir nosso ato
Nada mais para mim se compara
Pois a paixão se tornará ardente
E o coração jamais sara.


( Cigana -  Valter Montani )








domingo, 2 de fevereiro de 2014


  Texto longo e velho, mas nos faz tao bem quando estamos tristes...

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança ou proximidade. E começa aprender que beijos não são contratos, tampouco promessas de amor eterno. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos radiantes, com a graça de um adulto – e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, pois o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, ao passo que o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol pode queimar se ficarmos expostos a ele durante muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe: algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e, por isto, você precisa estar sempre disposto a pedoá-la.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. Descobre que se leva um certo tempo para construir confiança e apenas alguns segundos para destruí-la; e que você, em um instante, pode fazer coisas das quais se arrependerá para o resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias, e que, de fato, os bons e verdadeiros amigos foram a nossa própria família que nos permitiu conhecer. Aprende que não temos que mudar de amigos: se compreendermos que os amigos mudam (assim como você), perceberá que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou até coisa alguma, tendo, assim mesmo, bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito cedo, ou muito depressa. Por isso, sempre devemos deixar as pessoas que verdadeiramente amamos com palavras brandas, amorosas, pois cada instante que passa carrega a possibilidade de ser a última vez que as veremos; aprende que as circunstâncias e os ambientes possuem influência sobre nós, mas somente nós somos responsáveis por nós mesmos; começa a compreender que não se deve comparar-se com os outros, mas com o melhor que se pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que se deseja tornar, e que o tempo é curto. Aprende que não importa até o ponto onde já chegamos, mas para onde estamos, de fato, indo – mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar servirá.
Aprende que: ou você controla seus atos e temperamento, ou acabará escravo de si mesmo, pois eles acabarão por controlá-lo; e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa o quão delicada ou frágil seja uma situação, sempre existem dois lados a serem considerados, ou analisados.
Aprende que heróis são pessoas que foram suficientemente corajosas para fazer o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências de seus atos. Aprende que paciência requer muita persistência e prática. Descobre que, algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai, poderá ser uma das poucas que o ajudará a levantar-se. (…) Aprende que não importa em quantos pedaços o seu coração foi partido: simplesmente o mundo não irá parar para que você possa consertá-lo. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar atrás. Portanto, plante você mesmo seu jardim e decore sua alma – ao invés de esperar eternamente que alguém lhe traga flores. E você aprende que, realmente, tudo pode suportar; que realmente é forte e que pode ir muito mais longe – mesmo após ter pensado não ser capaz. E que realmente a vida tem seu valor, e, você, o seu próprio e inquestionável valor perante a vida.

(Um dia você aprende… – Willian Shakespeare)