sábado, 22 de novembro de 2014



Posso ver a claridade além do sol, antes disso, nuvens se aconchegam juntas sem nenhum trovão. São ásperos os ventos do outono.Caminho em direção à chuva que desabrocha adiante e entrego meu corpo às águas que o céu despeja em uníssono com meus derramamentos.Todas as minhas expectativas frustradas escoando pela terra.Tenho tudo que preciso e abro o peito e os braços e digo um SIM sonoro para o que meus olhos alcançam, o meu peito suporta e o mistério penetra.Eu me sinto em casa: tenho horizontes inalcançáveis. E o que me faz caminhar é essa sucessão de desafios que não cessam, para que eu conheça meu poder de superação.
Eu construo minhas estradas e meus navios.E depois os aprimoro.E para que navegue ébria ou caminhe resoluta numa linha torta, preciso estar forte feito rocha. Eu moro nos mirantes quando preciso montar a trajetória dos meus próximos mapas. E abraço cada sensação que tenho ao apontar com o dedo meu próximo lugar sem um provável endereço.E, em vez de cidades, encontro sentimentos_ países inteiros a serem explorados: Amor, Medo, Confiança, Insegurança, Solidão... Meu destino é a Sabedoria. Não procuro atalhos, sei que é longa a travessia.
Posso ver com clareza além do sol...agora.

(Marla de Queiroz)

4 comentários:

  1. A gente vai andando por aí, e vendo o mundo que nos diverte, mesmo quando não. =D

    ResponderExcluir
  2. Eu confio nesta caminhada que empreendemos avidos de emoções.
    Que sua caminhada seja coroada de glorias querida amiga.
    Abraços.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Essa é uma digna forma de superação. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. É longa a travessia, e há perigos por trás dos muros. Mas ao mesmo tempo, é linda, apesar de solitária.

    ResponderExcluir