quinta-feira, 23 de outubro de 2014

   
Era uma vez uma menina cujo coração batia mais rápido que o das outras pessoas.
Isso incomodava toda a gente.
Por causa do barulho.
O coração batia tão alto!...
Ela tentava explicar: «É um coração de pássaro... Eu estou no corpo errado!... Daí o coração bater tão rápido... 
Eu sou um pássaro...»
(...)
Pouco a pouco as pessoas foram-se habituando ao barulho do coração…
Acabaram mesmo por esquecê-la.
Ninguém se apercebeu do que se passava.
Também ela se habituava.
Começou mesmo a gostar do seu corpo
E sentia-se cada vez mais leve
Ninguém reparou como sorria, de olhos postos no céu.
E depois, um dia…
As pessoas já não sabiam se era alguém que morria, ou alguém que nascia.
 Mas uma coisa era certa, se ela partisse assim, ninguém se importaria. 

(Regina Pessoa)












6 comentários:

  1. Texto maravilhoso! Acho que algumas pessoas nascem aqui mas não são daqui.
    Tenha uma linda tarde!

    ResponderExcluir
  2. Nem importaria o sentimento dos demais, O certo é que ela se encontrara. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Ser pássaro e ter um coração que incomoda as pessoas...belíssimo texto!

    Minha querida, traga sempre assim coisas lindas e receba o meu grato abraço :)

    ResponderExcluir
  4. [ tuas escolhas são tão sensíveis a mim
    que sinto vontade de te dar um abraço]

    beijão Frida querida. um dia de cada vez.

    ResponderExcluir
  5. Muitas vezes sentimos a vontade de ser pássaros e outros nascem pássaros, sem asas mas de voo profundo.
    São os iluminados e não entendidos.
    Bela garimpagem.
    Abraços
    Beijo de paz e luz.

    ResponderExcluir