sexta-feira, 29 de agosto de 2014





Tenho para mim que sou cria da Mata. Que sou fruto do ventre dos Solos virgens, da selvageria sem intervenção cívica. Tenho em meu corpo a extensão da Natureza ainda intacta, do Ar imaculado, da Nuvem criança, do Céu infantil. Sinto a liberdade do que há de mais genuíno no que é pueril. Tenho comigo a necessidade de enraizar-me até o descanso das asas, a atenção ao chamado dos Pássaros, a intenção da delicadeza das Pétalas, a percepção da agressividade da Selva. Tenho a irracionalidade dos Animais e a intelectualidade dos Poetas. Minha nudez não está no corpo, a Natureza do meu corpo é a minha festa.

(Marla de Queiroz)



14 comentários:

  1. Anda cá, Frida, vamos ali mergulhar os dois...
    Beijinho

    :)))

    ResponderExcluir
  2. Mais um final de semana.
    Nesse postei um pouco de mim
    para você começar a me entender .
    E quem sabe você também a partir
    de hoje me veja com mais amor.
    Uma vez por semana minha postagem
    vai falar sobre mim.
    È necessário falar um pouco de mim,
    e acima de tudo acreditar na presença de
    Deus na sua vida,
    quando os caminhos se confundem é necessário voltar,
    começar a vida tudo de novo independente da nossa idade.
    Que , Deus te cubra de benção
    principalmente de onde tudo parou.
    Um abençoado final de semana.
    Aceite o carinho que hoje te dou
    beijos na sua alma linda.
    E muita paz no seu coração ,
    Evanir..

    ResponderExcluir
  3. Belissima escrita...obrigada por a dar a conhecer! E muito bem complementada pela foto, que é muito bonita.

    Minha querida, um abraço apertado com votos de excelente final de sema :)

    ResponderExcluir
  4. Ah, se todos se permitissem sentir este chamado da Natureza dentro de si...seria um mundo mais puro, mais amigo, mais sincero, porque fiel às leis naturais...
    Um grande abraço, e uma chuva de bênçãos pra você, Frida!

    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  5. Que lindo! Me indentifiquei tanto com estas palavras. Bela escolha, amiga. Adoro a Marla.

    Bom find!

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  6. Que belo texto.

    Desconheço a autora, mas te fico grata pela partilha.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. R: é verdade, mas não é assim tão simples, infelizmente...
    Que texto lindo!

    Beijinho *

    ResponderExcluir
  8. E o poeta sendo a própria natureza! abraços

    ResponderExcluir
  9. Lindo texto!
    Grande abraço

    www.lucadantas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Que maravilhoso texto amiga. Desejo que esteja a
    passar um bom domingo.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  11. Boa noite, Frida. Adorei ler esta maravilha tão livre e solta!
    A liberdade aqui é palavra de ordem!
    Tenha uma semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  12. Beleza de se definir com sensibilidade e intensidade perfeita.
    Texto de muita criatividade e inspiração na perfeita sintonia e a imagem é inspiradora.
    Beijos

    ResponderExcluir