quinta-feira, 21 de agosto de 2014



Quando o caos encontra morada
ele está a um passo da harmonia.

A roda da dualidade
que não pára de girar.

(Be Lins)





12 comentários:

  1. Frida,

    Este post me lembrou a situação caótica da sociedade mundial atual. E os políticos achando que a solução é crescimento econômico. Muito pelo contrário, eu acho que o planejamento familiar, resultando na diminuição da população mundial, preservará a Natureza, o que manterá possível a vida de todos.
    O crescimento econômico leva ao aumento da população, que produz lixo e esgotamento dos recursos naturais, além do lixo social do crime.

    :)
    Marcos

    ResponderExcluir
  2. Venho pedir seu voto
    se achar que eu mereço.
    Ou até mesmo pode não gostar de participar
    desses eventos nos blogs.
    Eu entenderia também,
    mais quase não tem mais
    brincadeira entre blogueiros.
    Acabei por aceitar .
    O endereço de votar.
    http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/
    È complicado pra mim pedir voto,
    mais garanto essa vez será a última.
    Beijos no coração.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  3. Há sempre contrate, dualidade que, por vezes dói.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Minha querida

    Somos tantas vezes o verso e o reverso...o sim e o não.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  5. Quando acreditamos que no fim do túnel há a luz,
    criamos uma série de possibilidades as quais
    conspiram para que se faça o brilho.
    Eu creio.

    Que a paz esteja crescente em seus dias para um lindo fim de semana onde caos esteja longe.
    Meu terno abraço
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Bom dia,
    Quando o caos começa a ser iluminada pela luz da esperança, a felicidade vai chegar com a mesma.
    A imagem é bela e criativa.
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Excepcional foto e condizente com um texto significativo.

    Minha querida, bom final de semana :)

    ResponderExcluir
  8. Não vivemos em caos constante? Numa corda bamba a que chamam de vida?

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Um pensamento profundo!
    saudações poéticas!

    ResponderExcluir