terça-feira, 4 de fevereiro de 2014



Toma as minhas mãos,
Minha misteriosa Cigana
Leia agora meu destino
Pois o poeta não se engana

Sei ler o brilho de teus olhos
E sinto o tremor de tuas mãos
Tua respiração está ofegante
Sinto um turbilhão de emoção

Quero me envolver no mistério
Que se esconde em tua silhueta
E me envolve num louco desejo
Quero sentir o calor de teu beijo

Juntemos nossos pulsos
Para, no deslizar do punhal
Nosso sangue misturar
Num excitante ritual.

Quero sentir teu corpo
Colado junto ao meu
Impregnados pelo suor
Desprendido do amor

Uma troca intensa de fluidos
Que a gente jamais sentiu
A trilha sonora dos gemidos
Feito dois animais no cio,

Depois de cumprir nosso ato
Nada mais para mim se compara
Pois a paixão se tornará ardente
E o coração jamais sara.


( Cigana -  Valter Montani )








10 comentários:

  1. Intenso e intrépido, com o amor inadiável.
    Muito bom!

    - -
    [O primeiro verso quase me fez gelar, pela proximidade ao nome de um poema meu!]

    ResponderExcluir
  2. Deus te proteja...Deus te proteja....bjoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hj recebi uma noticia triste... e foi muito bom chegar aqui e ler este seu recado anonimo(a)... nao sei quem é vc, mas me ajudou...
      Amem... e que Deus lhe proteja tbm...
      Obrigada...

      Excluir
  3. Um belo poema, intenso e envolvente. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Muito linda a partilha deste poema forte e cheio de magias.
    Carinhoso abraço amiga
    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Poema forte, lindo! É o poeta não se engana! abração

    ResponderExcluir
  7. Um desejo que escorre de cada palavra.

    Adorei.

    beijos

    ResponderExcluir
  8. Desculpa a ousadia, mas este poema é um tesão! Adorei!
    Beijinhos doces, simpática!

    ResponderExcluir