quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

 Nunca saberemos se os enganados
são os sentidos ou os sentimentos,
se viaja o comboio ou a nossa vontade
se as cidades mudam de lugar
ou se todas as casas são a mesma.
Nunca saberemos se quem nos espera
é quem nos deve esperar, nem sequer
quem temos de aguardar no meio
de um cais frio. Não sabemos nada.
Avançamos às cegas e duvidamos
se isto que se parece com a alegria
é só o sinal definitivo
de que nos voltámos a enganar.



Amalia Bautista

5 comentários:

  1. E a maravilha da vida é mesmo esse 'não saber'.

    Consegues imaginar se conhecessemos?

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Os sentidos podem dar apenas empiricamente o que contem a priori um conhecimento dado! abraços

    ResponderExcluir
  3. Atravessar um abismo de olhos vendados.
    Bela partilha amiga.
    Beijo de paz e luz.

    ResponderExcluir
  4. Talvez a riqueza da vida esteja nesse não saber. Bjs.

    ResponderExcluir