quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

“Há uma estrada que vai de Vegas para nenhum lugar, um lugar melhor do que onde você já esteve”.

 
É de arrepiar... belissima voz de Jevetta Steele...



A partir das primeiras cenas do filme “Bagdá Café”, do diretor alemão Percy Adlon, o apreciador percebe que se encontra diante de uma obra incomum. Cortes secos, câmera inclinada, filtros cromáticos e personagens caricaturais são algumas das escolhas estilísticas do diretor para a composição de um dos filmes mais aplaudidos pela crítica mundial.
( Crítica: Carina Rabelo )

É interessante o uso do deserto (o filme se passa numa estrada localizada no meio do deserto de Mojave, entre Las Vegas e a Disneylândia ) como configuraçao da purificação...
Bagdad Café, é um misto de lanchonete e hospedaria... o ambiente ,  local e personagens vao se transformando... levando as pessoas a meditarem sobre a vida em diversos angulos... expoe  a diversidade humana... o filme é uma verdadeira ode a amizade, cheio de metaforas... um pouco estranho talvez... mas gostei...



 "Uma Interseção num Deserto de Possibilidades"



4 comentários:

  1. O nosso cantinho tem sempre outro conforto...

    O filme eu vi já há uns anos. Lindíssimo, por sinal.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Lindo o filme. Nos permite compreender que a felicidade,
    embora abstrata, concretiza-se quando se dá importância
    às pequenas coisas, no sentido de contribuir, por meio de ações,
    para o bem-estar dos que nos rodeiam.

    beij0

    ResponderExcluir