domingo, 1 de dezembro de 2013

Aos que me seguem, que sempre estao passando por aqui e deixando ou nao um recadinho... vcs ja sabem que sou cuidadora de uma pessoa  com problemas de saude, e com isso esqueci um pouquinho de mim  e acabei  descuidando de minha propria saude... entao amanha a tarde estarei passando por uma  cirurgia e desde ja conto com as oraçoes e energias positivas de vcs, pq minha avo dizia: canja de galinha, repouso, amigos e oraçoes, nunca é demais...
Mas, com isso tudo acontecendo nao terei como poder passar nos blogs das pessoas que admiro e que tenho carinho, deixando meu recado... estarei por um tempo afastada... espero que as forças do bem que regem o universo sejam generosas comigo e que seja realmente apenas por um tempo...
Entao...  ja deixo  meus votos para o natal que se aproxima e o ano que chega... em outras circunstancias diria que meu desejo para vcs é de boas festas, um ano com dinheiro, felicidades... e é claro que lhes desejo isso tudo, mas esse ano que esta acabando me trouxe uma liçao... aprendi que o que mais precisamos é de saude... sem ela todas as outras areas de nossa vida ficam estagnadas e vc acaba vivendo so em funçao de cuidar da sua saude ou da saude dos  seus... todos os seus sentidos, todo o seu emocional se vira para tentar resolver e sobreviver a isso... e é engraçado, mas a gente nunca da a importancia que de fato ela merece, hj eu costumo dizer que saude é igual mae, vc realmente so sente a falta que ela faz quando vc ou os que estao proximos de vc a perdem...
Entao... lhes desejo  saude... muita saude... saude para correr atras do dinheiro, das festas, das oportunidades, das viagens, da felicidade, dos amores... saude para poderem correr atras do seus sonhos ...  e paz...  pq a paz é fundamental para todo o nosso equilibrio...


Agradeço de coraçao a todos que ate aqui me acompanharam, prestigiaram o meu blog e tiveram carinho por mim...

Obrigada  ...

Bachtalo Krecunu thay Bachtalo Nevo Bers
(Feliz Natal e Feliz Ano Novo)

Beijos...




- Mãe, é Deus quem acende as estrelas no céu pra gente quando fica de noite?
 Olhavam para o céu, sentadas lado a lado no balanço, quando a menina fez a pergunta. A mãe a olhou com um sorriso que parecia maior do que o próprio rosto. Do que o próprio corpo. Do que aquele jardim.
- É. Ele acende as estrelas no céu todas as noites para nos lembrar que cada um de nós, aqui na Terra, precisa acender a estrela que dorme no próprio coração. Ela só acende quando acorda. Cada pessoa que consegue acendê-la também vira um pontinho luminoso para quem olha lá de cima.
A menina ficou bastante atrapalhada com aquela novidade: ninguém nunca havia lhe contado que existia uma estrela dormindo no coração das pessoas. Já sabia que existiam algumas coisas com nomes esquisitos dentro dela, coisas que não podia ver nem tinha idéia de como eram. Mas, uma estrela?! Muito curiosa, silenciou um pouquinho para imaginar a tal estrela dorminhoca. Será que ela também dormia com edredom? Vai ver sentia frio, já que ainda estava apagada.
- E como é que a gente faz pra acordar essa estrela, mãe?
A mãe lhe deu um abraço demorado, daqueles que adorava dar, capazes de criar calor mesmo em noites frias como aquela. Depois, olhou bem dentro dos olhos intrigados da menina, pousados nela o tempo todo, ansiosos pela resposta.
- Ela acorda quando a gente ama.

Ana Jácomo



É fácil amar o outro na mesa de bar, quando o papo é leve, o riso é farto, e o chope é gelado. É fácil amar o outro nas férias de verão, no churrasco de domingo, nas festas agendadas no calendário do de vez em quando. Difícil é amar quando o outro desaba. Quando não acredita em mais nada. E entende tudo errado. E paralisa. E se vitimiza. E perde o charme. O prazo. A identidade. A coerência. O rebolado. Difícil amar quando o outro fica cada vez mais diferente do que habitualmente ele se mostra ou mais parecido com alguém que não aceitamos que ele seja. Difícil é permanecer ao seu lado quando parece que todos já foram embora.

Ana Jácomo