sábado, 30 de novembro de 2013



_ Entendo, respondeu, mas o que devo fazer?
_ DANCE!, respondeu.
Continue a dançar, dance enquanto houver música, e mesmo que a música pare.
Compreende o que estou dizendo?
Você deve dançar. Dançar sem mais perguntas, sem querer porquês, não deve
pensar em significados ou razões, isso não importa.
Se te mete a pensar nisso, seus pés bloqueiam, travam, e se você perder o ritmo,
eu não poderei fazer nada por você. Todas as tuas ligações serão interrompidas,
acabarão para sempre e você viverá só no mundo. Para sempre. Não há como
voltar atrás porque seus pés te levarão ao chão. Por isso, dance!
Se alguém te fizer sentir uma tola, não pense, não reaja, um passo depois do outro
e continue a dançar. Tudo que parece não acontecer será assim alcançado, um passo
depois do outro, continue a dançar.
Para certas coisas o agora nunca é tarde e, mesmo que seja, insista. Faz o teu melhor,
não tenha medo de nada.
Você está cansado e confuso, está fazendo tudo errado e por isso, seus pés parecem
travados, mas isso não importa. Não espere mais nada, apenas, dance, dance, dance.


Haruki Murakam/ Dance, Dance












"E sua alma
era só uma sombra

que dançava
só."

sexta-feira, 29 de novembro de 2013



Não acontece em todas as noites,
mas nas noites em que acontece,
ela sabe.

Ele ronda sua janela,
dá voltas e mais voltas pela quadra,
sorrateiro, ele pensa não ser visto,
sorrateira atrás das cortinas, ela nada sabe,
exceto o quê ambos pressentem:

juntos, ultrapassam escuridões.
 

( Postado originalmente por Be Lins )



Às vezes o coração não se atrai apenas pelo que é luminoso.
Às vezes ele se deixa cativar pelas ambiguidades obscuras de caráter,
pelos silêncios ressentidos.
E pela compreensão aguda de alguma ideia ou segredo que exista em
comum com outra pessoa.
Nessas circunstâncias, o fato de o relacionamento ser ou não ser apropriado
deixa de ser uma questão.


[capítulo 16,  A Amante de Freud]



quinta-feira, 28 de novembro de 2013






De saia rodada vermelha, o corpete decotado preto deixando a barriga de fora. Aquele lenço vermelho na cabeça escondendo parte do cabelo. O ouro pendurado em forma de joias em seu pescoço, seu pulso e seu tornozelo, um anel em formato de rosa, preto. A garrafa de whisky em uma das mãos, o cigarro entre os dedos da outra mão, levando à boca, tragando. Parada, encostada na porta de uma loja abandonada, olhando para os passantes. Os pés descalços encostando o chão. Todos os que passavam a olhavam e quando ela retribuía, o olhar penetrando em suas almas. Descobrindo cada detalhe, cada segredo. E aí ficavam hipnotizados, parados à sua frente, não conseguiam afastar seus olhos daquela mulher.
—  Ela sorria maliciosa, fazendo-os esquecer de todo o resto.

Aquela cigana...





Dança minha cigana
Mostra beleza e gana
Deixa-me dançar contigo
Mulher sensualidade
Batida dos pés e palma
Baila ao som da guitarra
Solta teu lindo sorriso
É isso só que eu preciso

(Sidney Santos)


"Imagine um mundo em que as pessoas não tenham endereço fixo, documentos, conta em banco, carteira assinada, nem história. E que a vida deles passe despercebida, como se não existisse.
Que a única certeza é que nunca faltará preconceito e ignorância, medo e fascínio, injustiças e alegrias ao longo de sua interminável jornada."

Bem-vindo ao mundo cigano...
 

domingo, 24 de novembro de 2013




 São muitos os voos que queremos alçar. Anseios de liberdade. De independência.
Desejos amorosos. Períodos sabáticos. Sonhos com o norte e tantas direções…
Confortos afetivos, aproveitar melhor os sentidos. São tantos sentimentos que
solicitam um voo alto que os liberte, ou os faça alcançar aquilo que falta, aquilo
que grita, aquilo que alegra…
Tantas metáforas contidas num único voo. 
Nietzsche, um traçador de rotas
metafóricas tem uma das mais brilhantes sobre como aprender a voar:
‘Quem deseja aprender a voar deve primeiro aprender a caminhar, a correr,
a escalar e a dançar. Não se aprende a voar voando.’
A gente quer da vida o voo das coisas mais leves e todas as suas delícias.
Ao contrário do voo, não se aprende a viver senão vivendo. Para voar é
preciso viver com vontade, vontade que é o nome que a vida dá para as
suas asas que nos abraçam e nos tiram pra dançar:
Confiança e vontade. E agarrar-se com força nas asas da vida que tudo ensina.
Inclusive, voar.

(Be Lins)


Nunca em minha vida tive tanta vontade como agora... de ter nascido com asas...



sábado, 23 de novembro de 2013

Eu me busco tanto em tudo que fiz da palavra “encontro” o fim da minha estrada.
E sigo caminhando a esmo com a obstinação dos que não têm destino certo, apenas a intuição de que chegarão nalgum lugar que não se chame “cansaço”.
(Marla de Queiroz)


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Tenho pensado que a pior coisa do mundo é não ter o poder de ajudar... não existe nada mais angustiante do que isso... ver uma pessoa sofrer com dores e não poder fazer nada...
Me pergunto constantemente: e aí , tudo que sei não serve para nada? Não... não serve...
A única coisa que se pode fazer é medicar e pedir baixinho fervorosamente que passe, que dê certo... e repetir para pessoa:  vai passar... vai passar, aguenta firme que vai passar...
Mas... nada  nada  nada... é mais desesperador  do que isso...


"A gente carrega dentro do peito todos os sonhos do mundo. Isso é tão bonito, tão encantador, tão cheio de esperança. Acho que é isso: precisamos da esperança, precisamos acreditar naquela fagulha que fica lá dentro dando a entender que tudo vai clarear, clarear, clarear."
[Clarissa Corrêa]


Senhor, não te peço que me encurtes o caminho...
mas venha comigo, conversando!


sexta-feira, 15 de novembro de 2013

O que você acha de a população ter acesso a um exame mais preciso e ainda gratuito para o diagnóstico do linfoma? 
Está aberta uma consulta pública para oferecer o PET-CT no rol de procedimentos do SUS. 
Saiba mais em www.abrale.org.br


"Sem PET Scan é impossível estadiar com precisão o linfoma nem verificar a eficácia do tratamento e indicação de aplicação de novo esquema terapêutico."

Esse exame tinha que ser obrigatorio para pacientes com linfoma, ele é essencial e no entanto ate mesmo alguns planos de saude negam pagar o exame por ele ser de  alto custo... aí eu pergunto: - ainda é preciso consultar a populaçao?


G.J.L: -TODOS têm direito de ter o melhor tratamento para a sua saúde e o PET-CT é um deles!!!!!

M.F: - Precisei fazer esse exame e tive que entrar na justiça pra consegui, pois na época (2011) o lugar mais próximo era Fortaleza (CE) e não fazia pelo SUS. Eu sou do RN e ainda não tem pelo SUS.
P.S Tive Linfoma de Hodgkin...


 J.C: - Acho digno,porque só assim não morreria tanta gente por não poder pagar esses exames.
  
C.A: - Eu tive q pagar o meu,,, infelizmente nao pude correr o risco de aguardar a justiça liberar para mim!

D.S.C: - Simplesmente DIGNO!!! Eu sei o q é ter o alívio de uma precisão deste exame!!
  
J.P: - Eu concordo porque até hoje,eu estou com o processo na justiça pra conseguir fazer o pet-ct que é muito caro

I.S: - muito importante meu filho ja precisou e tivemos que pagar 2 comtamos com a ajuda de amigos e parentes pois custa muito caro

 "Acho que isso é um dever que o Governo tem para com o povo, e isso é para outros tipos de exames e para qualquer doença, pois existe tanta corrupção, tanto gasto com estádios, valores abusivos pagos à jogadores de futebol, tudo isso poderia fazer uma saúde melhor e exemplar no Brasil!!!!!!"
  (Josi .C.) 

 ( Pacientes em tratamento de linfoma)



Tomara que isso aconteça, ja passou da hora de pacientes com menos recursos financeiros terem direito a esse  exame que é essencial para sua saude... 

Cancer é uma doença séria e que tem que ser tratada como tal... so quem convive e passa por isso sabe a dor e a insegurança que a doença traz ao paciente e a seus familiares...

quarta-feira, 13 de novembro de 2013


Diego. princípio
Diego. construtor
Diego. meu bebê
Diego. meu noivo
Diego. pintor
Diego. meu amante
Diego. meu marido
Diego. meu amigo
Diego. meu pai
Diego. minha mãe
Diego. meu filho
Diego. eu
Diego. universo
Diversidade na unidade.
Porque é que lhe chamo Meu Diego?
Ele nunca foi e nem será meu.
Ele pertence a si próprio.

(Poema tirado do diário de Frida)










Deixei pendurado no varal: um pouco de lamento, dor e a falta de sossego.
Choveu... Mas não corri para ir pegar. Deixei molhando.

Torço para que embolorem.

 [Michelle Trevisani]


E a gente vai descobrindo que as pessoas não sentem ou são como realmente dizem ser... nada como o tempo e afastamento... nada como um dia e depois outro e depois outro... as vezes nem se precisa de tanto tempo ou dias....


Nós somos responsáveis pelos nossos atos, assim aprendemos a vida toda. Na vida prática isso vai fazendo cada vez mais sentido quando estamos crescendo, porém no emocional é difícil agir assim. Escolhemos a todo o momento e assumimos palavras e atitudes que machucam o outro. Confesso que demorou a chegar a minha vida esse amadurecimento, mas com o passar dos anos foi preciso que eu escolhesse meus caminhos com maior racionalidade. Fingir não estar machucado com atitudes alheias já não é mais possível pra mim. Aprendi com os anos a recolher os cacos e sair de cena, ainda faço parte daqueles que insisti, que conversa e quer falar sobre o acontecido. Existe um momento, não me pergunte, pois eu não sei dizer quando, que eu solto. 

( A emoção e a razão - postado pelo O Delírio da Bruxa) 


sábado, 9 de novembro de 2013





Reflexos inversos, pedaços de um mesmo ser que se separaram e se modificaram. Um tanto frieza, outro tanto humanidade. Separados por diferenças pequenas, de silêncios e espaço. Presos à uma espécie de jogo, de teia, de… Sentimento. Não, sentimento não é palavra, ou talvez seja, mas ela precisa de um eufemismo antes de se colocar no meio deles. Tudo é eufemismo. Nada também. Tudo é sarcasmo, ironia e quiçá apego… Tudo é uma mistura tão louca que pode chegar o momento que algum dos reflexos se apague, que algum dos espelhos se quebre e tudo volte a ser uma coisa só. Isolada e sem par, como antes.


segunda-feira, 4 de novembro de 2013








 "Something is rotten in the state of Denmark".

( Marcellus, quase ao encerrar-se o IV quadro do I ato - "Hamlet, Prince of Denmark ", de Shakespeare )


 Fato...







sexta-feira, 1 de novembro de 2013



É infinitamente mais vagaroso do que aquele movimento de fricção dos dedos, mas às vezes parece mesmo que o tempo passa na velocidade de um estalo.
É começo de ano e quando vê já era natal. o despertador tocou, mas quando percebe anoiteceu.
Assim seguem os dias: algumas vezes arrastados, na maior parte das vezes ninguém sente passar.
Se o tempo é ágil ou se nós somos dispersos, não dá pra saber. mas se soubermos aproveitar esses minutos de lucidez que acontecem antes dos dedos se encostarem, os intervalos entre um estalo e outro terão valido a pena. 

(Fernanda Gaona)