domingo, 24 de novembro de 2013



 São muitos os voos que queremos alçar. Anseios de liberdade. De independência.
Desejos amorosos. Períodos sabáticos. Sonhos com o norte e tantas direções…
Confortos afetivos, aproveitar melhor os sentidos. São tantos sentimentos que
solicitam um voo alto que os liberte, ou os faça alcançar aquilo que falta, aquilo
que grita, aquilo que alegra…
Tantas metáforas contidas num único voo. 
Nietzsche, um traçador de rotas
metafóricas tem uma das mais brilhantes sobre como aprender a voar:
‘Quem deseja aprender a voar deve primeiro aprender a caminhar, a correr,
a escalar e a dançar. Não se aprende a voar voando.’
A gente quer da vida o voo das coisas mais leves e todas as suas delícias.
Ao contrário do voo, não se aprende a viver senão vivendo. Para voar é
preciso viver com vontade, vontade que é o nome que a vida dá para as
suas asas que nos abraçam e nos tiram pra dançar:
Confiança e vontade. E agarrar-se com força nas asas da vida que tudo ensina.
Inclusive, voar.

(Be Lins)


Nunca em minha vida tive tanta vontade como agora... de ter nascido com asas...



3 comentários:

  1. As asas podiam levar-te onde teus desejos te ordenassem.

    Mas depois de aprenderes a andar, a caminhar, a dançar...:))

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Olá, Frida. Mas os passarinhos só aprendem a voar voando. Eu sei: nós não somos passarinhos.
    Lindo pensamento!
    Bom restinho de domingo pra você.

    ResponderExcluir
  3. ter um blog é mais ou menos como este texto: a gente procura descomplicar e se tornar leve...cada um do seu jeito...

    ResponderExcluir