quarta-feira, 9 de outubro de 2013




''Algum tempo atrás, talvez uns dias, eu era uma moça caminhando por um mundo de cores, com formas claras e tangíveis. Tudo era misterioso e havia algo oculto; adivinhar-lhe a natureza era um jogo para mim. Se você soubesse como é terrível obter o conhecimento de repente - como um relâmpago iluminando a Terra! Agora, vivo num planeta dolorido, transparente como gelo. É como se houvesse aprendido tudo de uma vez, numa questão de segundos. Minhas amigas e colegas tornaram-se mulheres lentamente. Eu envelheci em instantes e agora tudo está embotado e plano. Sei que não há nada escondido; se houvesse, eu veria.''

(Frida Kahlo)


7 comentários:

  1. Muitas vezes vive-se sem saber o que se é.
    Outras vive-se enganando pensando que é.
    E outras ainda se vive na terrível busca de entender o que realmente somos e podemos.
    Quando se encontra as incógnitas corretas, vive-se a alegria de saber ser feliz e pronto para a vida como ela é.
    Belo e profundo texto amiga.
    Saudade daqui.
    Um abração com carinho.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  2. O conhecimento da vida nem sempre traz alegrias. A realidade nubla o olhar. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Vi o filme sobre a vida desta moça. Dor, muita dor... e ela explodia todas as dores em cores.

    ResponderExcluir
  4. Ainda assim eu preferiria o conhecimento ao inves da ignorancia.

    Hey, tem sorteio de produtos NYX no blog http://tinyurl.com/mp6wq72
    Te vejo lá ;)

    ResponderExcluir
  5. Tudo tem um preço, quanto mais conhecemos, mais sós ficamos. Mas a dignidade está em continuar, sempre.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  6. Belo texto, apesar da tristeza que o permeia. Mostra desencanto, sim; mas também um agudo conhecimento da vida. Boa escolha; boa semana!

    ResponderExcluir