terça-feira, 25 de setembro de 2012

" Porque a Maria que vai com as outras raramente vai consigo."





Como uma frase pode mudar um dia...
Descobri que sou ingenua demais...tao ingenua que  so descobri isso hj...
Falo o que realmente penso... e muitas vezes na hora errada (mas que eu achei ser a hora devida, pelo menos para mim)... nao consigo manter a calma se algo me tira do serio ( so penso depois, e isso por mais verdadeiro que seja, as vezes me deixa em situaçoes dificeis)... nao consigo ter o jeito pacifico que é tipicamente feminino...
E o pior de tudo, nao consigo fazer esse joguinho que tenho visto na maioria das mulheres...
esse jogo, sei la... de gato e rato...(gato e rato?) essa coisa de beicinhos, olharzinhos...nhem nhem nhem  e palavras subliminares, de joguinhos de conquistas meio "brega"( brega para mim, pq pelo que tenho visto, eu que sou brega, isso é quase uma regra geral entre as mulheres)... nao sei... talvez pq meu mundo seja  a maior parte habitado pelo masculino... convivo com homens... pouquissimas mulheres fazem parte do meu dia a dia... nao aprendi essas coisas de "mulherzinha"... nao sei seduzir... nao sei ser interessante... meus assuntos sao sempre muito diferentes do mundo feminino...  é claro que muitas mulheres conversam sobre tudo , e toda regra tem as suas exceções ( e nem é uma critica, na verdade hj descobri que elas estao certas, sao muito mais interessantes aos olhos masculinos)... mas  a maioria  conversam um tempinho assuntos gerais e se voltam para a chapinha e a chuva no cabelo, o regime e as calorias ...os homens que prometeram ligar e nao ligaram... nao consigo manter uma conversaçao muito tempo se o assunto é so isso ...  se o assunto ficar so ai, me desinteresso...
Alguem hj me falou uma coisa sobre esse meu jeito... e eu me vi uma ingenua sem sal... ingenua no sentido de ainda nao ter percebido isso... sempre me achei mesmo com pensamentos mais masculinos... mas... nao tinha me visto ainda tao diferente de outras mulheres...
Me disseram apenas uma frase -Vc surpreende, tem um jeito de "patricinha" , muito feminina por fora, mas com atitudes masculinas ( patricinha = ? ... nunca consegui entender qual a definiçao certa para essa palavra)...
E ela (a pessoa) nem falou por mal (eu acho) ...sei que provoco essa reaçao mesmo nas pessoas que me veem de salto, maquiada, cheia de pulseiras, colares ... acham que se minha unha quebrar eu entro em panico, e se surpreendem quando me veem agindo com firmeza quando é preciso......
Mas ela me fez pensar o dia todo depois disso, e eu comecei a rever tudo isso...de nao saber fazer esse jogo de conquista, de nao ter a docilidade da calma feminina... e com minha "atitude" masculina nem perguntei o que ela  quis dizer, pq tinha algo mais urgente para resolver ... e ate agora nao sei se foi uma critica ou apenas surpresa mesmo...
Mas mexeu comigo... me fez pensar... me vi perdida entre esses dois mundos... masculino e feminino... e talvez sem pertencer a nenhum deles... nao tenho nada de masculino fisicamente, nao gosto de mulheres, sou vaidosa, mas sei que tenho pensamentos e atitudes mais masculinas... nao gosto do jeito "mulherzinha" pq detesto frescurinhas... detesto discutir DR ... detesto ficar repetindo e lembrando algo que ja passou a um seculo... detesto cobrar atençao com carinha de menininha indefesa...mas sou feminina, gosto de me enfeitar...  fiquei nem la...nem ca... ta ficando dificil assim...
Me vi agindo como os homens... mas com  sentimentos mais  femininos... bom... isso é puro preconceito... dizer "sentimentos femininos" ... homens tbm sao sensiveis... e tenho visto que por serem menos ligados a coisas bobas... sao ate mais sensiveis... a unica diferença é que sao sensiveis ou ficam... quando realmente algo lhes toca a alma...
Me senti mal... me senti incomodada, embora admiro muito o mundo masculino que sempre simplificam tudo... sao diretos... sem embolaçoes de meio de campo... mas... ao mesmo tempo me senti tao  desinteressante, tao diferente das outras mulheres...
O que sei é que essa frase mexeu tanto comigo (talvez mais pelo tom que foi falada do que propriamente pela frase)... que me fez vir ate aqui desabafar... pq aqui é onde converso comigo mesma ...

Com isso tudo pode ser que  eu comece a mudar...
Talvez amanha chego para ela de um jeito mais tipicamente  feminino...e pergunte:- Aqui querida... sabe aquela frase que vc disse  ontem? ( mulher adora em uma discussao voltar em historias acontecidas  anos atras)... o que mesmo que vc quis dizer?

Mas ... e a preguiça?



segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Quem sou eu quando fecho os olhos? Quais vestes trago eu aos encontros? Quais os sonhos de infância são os frutos de hoje? Quais máscaras uso quando não é mais carnaval? O que sou quando me sobram apenas palavras? Quem sou eu quando me entrego? Quando não estou? Porque ando me sabendo pelas ausências, e também pelos silêncios. Na minha coleção de avessos, qualquer coisa que eu diga abriga o incerto, o contrário, o relativo, o inverossímil; e o meu não-dizer é absoluto, certo, inconteste, inapelável. Quando não digo, concedo aos meus pés o direito às possibilidades. Por isso, quando algo me perguntam respondo apenas como reação. Eu só falo por rebeldia, como uma força que me empurra e me arrasta quando não quero tomar postura nem posição. Falo por necessidade quando nada quero dizer. Falar me limita, encolhe e prende, e eu sou imenso, gigante e vasto. Sou fruto de todo o meu passado que não consigo demonstrar, todo meu sentir que me é impossível traduzir, todo um infinito que me é descabido explicar. Com as palavras que tenho, do oceano só a gota posso apontar. Melhor então viver nos bastidores das entrelinhas, nas sutilezas dos detalhes, nas cores do invisível, na intensidade do simples, na importância do sereno, numa entressafra de possíveis amores e sementes. Sou plural, coerência e loucura na mesma cura, cegueira e altura num mesmo par de olhos que sabe ser a vida incógnita, quando não tumulto e multidão. E confuso, vivo sentindo torções na Alma, ansiedade de parto, angústia da morte e do renascer; sintomas de quem não sabe cuidar do próprio jardim e cabe ao tempo cobrar meu florescer. Tornei-me hábil com as letras, quando queria era ser honesto ao dizer que a gente mais ensina aquilo que precisa aprender. Mas é o silêncio quem (me) diz e eu só digo por não saber, por querer me distrair e cobrir meus enganos, os meus vazios todos com palavras. Queria era ser prático com o coração, sabendo melhor minhas cirandas e encantos, milagres, carinhos, paixão ou caminhos que possam me desnudar no espelho da Alma.

 (Guilherme)
.


Talvez o amor
seja um encontro com a criança que cada um guarda dentro de si
com a criança que o outro também guarda
e preciosamente resolveu revelar;
Pequena criança que repousa no colo dos sonhos d'alma;
aquele serzinho que reinou por um tempo sem receio de dizer
oque de VERDADE
o coração queria dizer,
sem meandros sem melindres sem resguardos
meio bobo até,

_ o amor precisa dessa coragem criança
que quando a gente cresce, até dói.


[depois que você cresceu, você realmente entregou seu coração à alguém?]


 (Postado originalmente por Be Lins)


 Pq achei lindooo... desde a imagem ate o texto...





"Eu vejo a vida
Melhor no futuro...
Gente fina... elegante... e sincera ..."



sábado, 22 de setembro de 2012

Feliz aniversario Cassius...

Como disse uma vez... se vc nao existisse eu mandaria te inventar... mas alguem la em cima, prevendo isso... poupou-me o trabalho e desde que vc chegou por aqui o mundo ficou mais azul ... principalmente para as pessoas do seu convivio (penso eu)...
As pessoas passam por nossa vida... mas nao desaparecem mesmo depois de se retirarem (bom... pelo menos para mim é assim e acho que  para muitos)... nao as esquecemos pq um pouco do que sao e representaram para nos fica conosco... ainda bem... pq crescemos e evoluimos ao cruzar com as pessoas pela vida afora...  ninguem é bom ou ruim, perfeito ou imperfeito totalmente... somos barro sendo moldados ao longo de nossa existencia... e tudo que o outro nos deixa de alguma forma nos acrescenta... e por isso mesmo desejo que hj o seu dia seja de paz e alegria ... rodeado pelas pessoas que vc gosta e quer bem... e que esse dia se estenda alem do tempo cronologico de um aniversario... se estenda por toda sua vida...

Que essa energia do meu querer bem... chegue  aonde quer que esteja, muito provavelmente vc nao lera isso... mas nao importa... ha dias vinha pensando nisso e fiz o que eu queria ... o que importa é que esse bem de alguma forma encontrara  o caminho ate vc...

 "Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo."

(Saint-Exupéry)


Que Deus te proteja...


terça-feira, 18 de setembro de 2012

As pessoas deveriam respeitar quando dissermos a elas que naquela hora nao queremos conversar...
As pessoas deveriam nos deixar quietas e no nosso canto quando pedirmos isso a elas...
As pessoas deveriam ver que no vocabulario da lingua portuguesa existem variaçoes de palavras e na verdade nao deveriam usa-las, mas sim...calarem...
As pessoas nao deveriam ficar repetindo sempre e sempre e sempre com as mesmas frases, chateaçoes na nossa cabeça...
As pessoas deveriam cansar de serem repetitivas...cansarem de si mesmas e desconfiarem que estao sendo enjoativas...
As pessoas deveriam mudar o repertorio de vez em sempre...
As pessoas nao deveriam achar ruim e nos xingar nos chamando de crianças quando de tao chatas fazemos caretas para elas... é... careta mesmo... com lingua pra fora e tudo mais que temos direito...
As pessoas deveriam nos conhecer e perceber quando estamos tristes e nos respeitar...
As pessoas deveriam entender que so queremos um pouco de paz...
So um pouquinho...




“…e o que foi a vida? Uma aventura obscena, de tão lúcida”

(Hilda Hilst,  em "A Obscena senhora D" )




Tem vezes que a gente duvida
Duvida se...

Se existe
Se acontece
Se dura
Se floresce
Se eterniza


Se é vida, morte, ilusão, teatro, mentira, verdade...

Não importa,
quem tá no meio dele sabe,
mesmo quando bagunça o coreto.

(Be Lins)



Parece que para tudo na vida tem explicação.
Eu não gosto de ouvir explicações. Creio que na verdade, ninguém gosta.
Só que aí a gente tem um problema, porque sem ouvir a explicação do outro seja lá
sobre oque for, a gente acaba ficando sem entender na maior parte do tempo,
e  a cabeça fica  povoada de perguntas e quase sem nenhuma resposta.

Eu, por exemplo, me pergunto:
_ se as pessoas têm o potencial de fazer as outras pessoas ficarem alegres ou tristes,
o que justifica escolher entristecer?

Eu sei que deve ter uma explicação, mas eu acho difícil entender!

(Be Lins)





''meu coração é um entardecer de verão, numa cidadezinha à beira-mar. a brisa sopra..."

(Caio F. A) 






O Léxico da lingua portuguesa é muito grande... sao 435.000 verbetes... e mesmo assim é incrivel como algumas pessoas parecem aprender so algumas palavras... e as repetem continuamente... e o mais incrivel é que nao se cansam... nem de repeti-las e nem  de si mesmas...
Coisas da vida...     vai se entender...

segunda-feira, 17 de setembro de 2012


Estou descalça e tenho sono.
Os pássaros daqui não me acordam.
Sou acordada por aves de outras castas.

Outras esferas.


(Marize Castro, in: Esperando Ouro)

quinta-feira, 6 de setembro de 2012


Eu decidi ficar com o amor.
Ódio é um fardo muito grande para suportar!
(Martin Luther King)



 
 
 
Olho para trás e vejo aquela menina que queria entender tudo,
com medo de que não coubesse tamanha quantidade 
de informação dentro de si. 
coube e ainda cabe.
E quanto mais entra, mais sobra espaço para a dúvida. 
compreendo hoje que nunca entenderei a morte, os sonhos, 
a sensação de dejá-vu e as premonições. 
Nunca entenderei por que temos empatia com uma pessoa
e nenhuma com outra.
Não entendo como o mar não cansa, nem o sol. 
Não compreendo a maldade, 
ainda que a bondade excessiva também me bote medo.


(Martha Medeiros, do livro "Non-Stop" -  Crônica do Incompreensível)

quarta-feira, 5 de setembro de 2012





Uma vez eu vi um filme que falava sobre o poder da palavra.
Um personagem, em certa cena, compara o estrago que uma
palavra maldita pode promover, à um travesseiro de penas sendo aberto ao sopro do vento.

Vendo todas aquelas centenas de penas branquinhas voando, ele diz:
_ a chance de se arrumar o estrago que uma maledicência causa,
é tão grande quanto a chance de se recolocar todas as centenas de penas soltas ao sopro do vento de volta dentro do travesseiro.

Quando soltas, as palavras seguem seu destino. Doa a quem doer!


"Não se demore onde não existe o amor"


 (Be Lins)

domingo, 2 de setembro de 2012

Voce  agiria   assim?









Acredite... ainda hoje existem pessoas que tratam as minorias  assim...