quinta-feira, 26 de julho de 2012

Pessoas vazias escreveriam…





















---
Pois é, o “texto” acima foi criado por pessoas vazias, pessoas que somente se preocupam com o externo, com a aparência, com o tudo pronto, com o fácil. E o resultado disso tudo vocês puderam “ler” acima.
Infelizmente este “texto” está ficando muito popular, mais e mais pessoas escrevem deste modo.
Preocupo-me, pois tive imensa dificuldade em lê-lo, não compreendi muito bem o seu conteúdo.

(Carlos Henrique Leda)


Dita Von Teese



"Lembre-se que se algum dia você precisar de ajuda, você encontrará uma mão no final do seu braço. À medida que você envelhecer, você descobrirá que tem duas mãos - uma para ajudar a si mesmo, e outra pra ajudar aos outros."

Audrey Hepburn

"Não me falta homem, o que me falta é amor."

Marilyn Monroe

Quantos segundos?


 "Deixei poucas pessoas conhecerem a mulher que me habita. Essa de verdade, cheia de imperfeições e desordens íntimas, mas que carrega mais ternura do que se pode imaginar. Eu e meus olhos atrevidos, minha fome de amor, e essa fragilidade engraçada de quem quer ser a protagonista de um sonho bom.

Não que eu quisesse um compromisso com a eternidade, mas poucos souberam do meu corpo, das minhas marcas, das manhãs de preguiça e do rosto sem maquiagem. É que preciso acreditar para me mostrar. Porque se mostro meus medos, minhas incoerências e fraquezas, e só o que consigo é uma rasteira, fico tão desabitada.

Sou uma cidade vazia.

Acho que é por isso que por muito, muito pouco, fecho a porta e volto para a minha vida."

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Dia 25 de julho... dia do escritor...

Escritor e poeta Felisberto Junior...


Olá!Amor Amiga
As gotas de água caem do outro lado da minha janela. E em meus pensamentos, você volta. Escuto a sua voz e vejo o seu sorriso. Para mim você está aqui, dentro do meu coração; volto a me sentir como antigamente; O amor que senti ainda existe. Mas tenho medo. Não quero que a história termine do mesmo jeito.
 Acho que o amor que sinto por você é maior do que qualquer outro sentimento. Ainda estou machucado. e tenho receio em amar de novo. Mas não consigo evitar. Esse sentimento é maior do que eu, e me faz querer você.Eu gostaria que você estivesse ao meu lado agora, em vez de estar digitando aqui. A saudade que tenho de ti nesse momento é enorme.Estou com saudades e o silêncio fala alto quando se está longe de quem se quer perto.E mesmo que se tiver que ficar longe de ti , quero te dizer que não importa a distância, não importa as circunstâncias, não importa o tempo que passe, não importa o rumo que nossas vidas tomem, eu sempre vou te amar.Sempre vou te amar mesmo, nunca ninguém conseguirá fazer eu me esquecer de você.
Guarde essas palavras.


Te amo
Beijos  Abraços

PS: Ja tive a oportunidade de ler muitas poesias escritas com forte emoçao... e assim tbm é Felisberto...seus escritos... suas poesias, sao um deleite para os olhos, os sonhos e o coraçao... 
Esse texto na minha opiniao é o mais bonito entre tantos outros... quem quiser le-lo...

 http://felisjunior.blogspot.com.br/

 

 

 

“Um País se faz com Homens e Livros” (Monteiro Lobato)

 

 

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Entao fica combinado assim... o que chegar primeiro espera o outro, e se nao der tempo nesta vida... espera-se alem da vida... alem - tumulo... onde tudo é eterno...





"Você, com sua delicadeza extremada, vai me desconstruindo, tirando de mim as camadas ácidas, me esvaziando das verdades que nem existem, me fazendo ser mel. E nem vê a desordem que há em mim, ou, talvez nem se importe...

Só sei que volto a ficar parecida comigo, que ando as voltas com imensos e sinceros sorrisos.
Viro minha definição mais próxima da verdade."






"Prendi a respiração e fiquei em silêncio. Nenhum ruído.
Tudo calmo.
Sim, parece que lá dentro as coisas começaram a fazer sentido. E, o melhor, sem que eu precisasse me preparar para isso.

Não houve planejamento, intenção ou esforço.
Aconteceu. Foi simples, adulto, sereno."


quarta-feira, 18 de julho de 2012

 

Amo tua voz e tua cor
E teu jeito de fazer amor
Revirando os olhos e o tapete,
 Suspirando em falsete
Coisas que eu nem sei contar.
Ser feliz é tudo que se quer!
Ah! Esse maldito fecheclair!...
De repente, a gente rasga a roupa
E uma febre muito louca
Faz o corpo arrepiar.
Depois do terceiro ou quarto copo
Tudo que vier eu topo.
Tudo que vier, vem bem.
Quando bebo perco o juízo.
Não me responsabilizo
Nem por mim, nem por ninguém.
Vou ficar até o fim do dia
Decorando tua geografia
E essa aventura
Em carne e osso
Deixa marcas no pescoço.
Faz a gente levitar.
Tens um não sei que de paraíso
E o corpo mais preciso
Que o mais lindo dos mortais.
Tens uma beleza infinita
E a boca mais bonita
Que a minha já tocou.

terça-feira, 17 de julho de 2012


 

No café da manhã engole a sua infinidade e caminha carregando o peso de estar presa em si mesma. Caminha atentando os detalhes, procurando uma companhia. Não corresponde ao comum, não se encaixa. Sorri um sorriso que as pessoas não conseguem devolver, deseja um bom dia que as pessoas não conseguem entender. Está sempre quieta, tranquila, praticamente alheia. Está tão sozinha por fora. Mas à noitinha ela tranca a porta e a magia acontece. Ela cospe a intensidade guardada e se veste dela mesma. Assiste a vida passar lá fora como se não fizesse parte dela. A vida dela está toda do lado de dentro. Tem amigos imaginários, paredes terapeutas e almofadas que conseguem abraçar. Faz poesias enquanto cozinha e consegue enxergar a cor dos sentimentos. Tem uma alma toda colorida - em tons pastéis. Ela brinca, canta, sorri, dança, desenha, chora, perdoa, fotografa, se faz companhia, se admira. Ela se liberta. Até que ela cansa (a intensidade a deixa exausta). Então ela dorme cansada de existir. Adormece com um sorrisinho de quem não está sozinha. Até a manhã seguinte, quando ela acorda.

(Por Maria)

segunda-feira, 16 de julho de 2012

 

 

Namore um cara que lê


Namore um cara que se orgulha da biblioteca que tem, ao invés do carro, das roupas ou do penteado. Ele também tem essas coisas, mas sabe que não é isso que vai torná-lo interessante aos seus olhos. Namore um cara que tenha uma pilha de três ou quatro livros na cabeceira e que lembre do nome da professora que o ensinou as primeiras letras.

Encontre um cara que lê. Não é difícil descobrir: ele é aquele que tem a fala mansa e os olhos inquietos. Ele é aquele que pede, toda vez que vocês saem para passear, para entrar rapidinho na livraria, só para olhar um pouco. Sabe aquele que às vezes fica calado porque sabe que as palavras são importantes demais para serem desperdiçadas? Esse é o que lê.

Ele é o cara que não tem medo de se sentar sozinho num café, num bar, num restaurante. Mas, se você olhar bem, ele não está sozinho: tem sempre um livro por perto, nem que seja só no pensamento. O rosto pode ser sério, mas ele não morde, não. Sente-se na mesa ao lado, estique o olho para enxergar a capa, sorria de leve. É bem fácil saber sobre o quê conversar.

Diga algo sobre o Nobel do Vargas Llosa. Fale sobre as novas traduções que andam saindo por aí. Cuidado: certos best-sellers são assunto proibido. Peça uma dica. Pergunte o que ele está lendo –e tenha paciência para escutar, a resposta nunca é assim tão fácil.

Namore um cara que lê, ele vai entender um pouco melhor seu universo, porque já leu Simone, Clarice e –talvez não admita– sabe de memória uns trechos de Jane Austen. Seja você mesma, você mesmíssima, porque ele sabe que são as complicações, os poréns que fazem uma grande heroína. Um cara que lê enxerga em você todas as personagens de todos os romances.

Um cara que lê não tem pressa, sabe que as pessoas aprendem com os anos, que qualquer um dos grandes tem parágrafos ruins, que o Saramago começou já velho, que o Calvino melhorou a cada romance, que o Borges pode soar sem sentido e que os russos precisam de paciência.

Um namorado que lê gosta de muita coisa, mas, na dúvida, é fácil presenteá-lo: livro no aniversário, livro no Natal, livro na Páscoa. E livro no Dia das Crianças, por que não? Um cara que lê nunca abandonará uma pontinha de vontade de ser Mogli, o menino lobo.

E você também ganhará um ou outro livro de presente. No seu aniversário ou no Dia dos Namorados ou numa terça-feira qualquer. E já fique sabendo que o mais importante não é bem o livro, mas o que ele quis dizer quando escolheu justo esse. Um cara que lê não dá um livro por acaso. E escreve dedicatórias, sempre.

Entenda que ele precisa de um tempo sozinho, mas não é porque quer fugir de você. Invariavelmente, ele vai voltar –com o coração aquecido– para o seu lado.

Demonstre seu amor em palavras, palavras escritas, falas pausadas, discursos inflamados. Ou em silêncios cheios de significados; nem todo silêncio é vazio.

Ele vai se dedicar a transformar sua vida numa história. Deixará post-its com trechos de Tagore no espelho, mandará parágrafos de Saint-Exupéry por SMS. Você poderá, se chegar de mansinho, ouví-lo lendo Neruda baixinho no quarto ao lado. Quem sabe ele recite alguma coisa, meio envergonhado, nos dias especiais. Um cara que lê vai contar aos seus filhos a História Sem Fim e esconder a mão na manga do pijama para imitar o Capitão Gancho.

Namore um cara que lê porque você merece. Merece um cara que coloque na sua vida aquela beleza singela dos grandes poemas. Se quiser uma companhia superficial, uma coisinha só para quebrar o galho por enquanto ou só para sexo, então talvez ele não seja o melhor. Mas se quiser aquela parte do "e eles viveram felizes para sempre", namore um cara que lê.
  
Baseado no Date a girl who reads


PS: Pq todo mundo merece alguem "charmosíssimamente" inteligente...

Vi todas as coisas, e maravilhei-me de tudo,  
Mas tudo ou sobrou ou foi pouco – não sei qual – e eu sofri.  
Vivi todas as emoções, todos os pensamentos, todos os gestos,  
E fiquei tão triste como se tivesse querido vivê-los e não conseguisse.  
Amei e odiei como toda gente,  
Mas para toda a gente isso foi normal e instintivo,  
E para mim foi sempre a exceção, o choque, a válvula, o espasmo“.

(. Álvaro de Campos in Passagem das Horas .)





"A pasteurização da poesia contemporânea me assusta.
Vozes muito parecidas.
Fico feliz quando me deparo com vozes dissonantes, que rezam por cartilhas que não as vigentes, 
que discordam do coro dos contentes."

Hanna H.
.

é inútil buscar a verdade como algo absoluto.
a verdade, na verdade, é maleável, caleidoscópica, caprichosa até,

a verdade pode ser uma mentira, um engano, um desejo, uma conveniência,
a verdade, na verdade, nos enrola, e se mata de rir de nós. De todos, nós.

[você tem uma grande verdade?...]



(Postado originalmenre por Be Lins)


sábado, 7 de julho de 2012



Tenho todo um ritual para meus porres literários. Primeiro de tudo, abro uma garrafa de um bom vinho tinto. Depois desligo o celular, ligo a secretária eletrônica, reúno todos os livros que tenho a inteção de ler ou reler e ainda não o fiz”.
(. J. Kaufman & K. Mack in Ler, Viver e Amar em Los Angeles .)


 

terça-feira, 3 de julho de 2012










Amor de Papelão

PS: Pq é lindo o amor desse homem por essa mulher...


  Postado por Encontrando Dr. Hodgkin

 

 

COMPARTILHE NO FACEBOOK

 
Link de compartilhamento: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2224434587198&set=a.1531647227947.47027.1737759870&type=3&theater
DIGA NÃO ao limite anual de cadastro de possíveis doadores de medula óssea no REDOME!

COMPARTILHEM!

A sociedade organizada tem muito mais força do que imagina.
Nossa meta é chegar a 1 milhão de compartilhamentos, para pressionar o Ministério da Saúde. 
Nesta segunda e terça-feira, dias 2 e 3 de Julho de 2012, acontecerá o V Encontro REDOME no Rio de Janeiro.
Quando a chance de encontrar 1 medula compatível pode chegar a 1 em 1 milhão, não podemos nos dar ao luxo de limitar o número de cadastros.







Pode ver alem?