domingo, 21 de outubro de 2012


"E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José? 


José, pra onde?"

(Carlos Drummond de Andrade)


 Pois é... e agora José? 




5 comentários:

  1. Infinitas... e continuaremos a perguntar...

    ResponderExcluir
  2. Cheguei aqui me perguntando a mesma coisa. E agora? Não tem pra onde correr.

    ResponderExcluir
  3. Oi querida amiga Frida,

    Este poema pode ter várias interpretações. Cada leitor, terá a sua opinião.
    Quando li José, me lembrei de S. José, marido de Maria, Nossa Senhora. E me lembrei, porque seu filho, Jesus, não tinha lugar pra nascer e foi numa manjedoura, que o deitaram, aconchegado pelo bafo quentinho dos animais.

    Depois, temos, talvez, a mais vulgar: agora, o que iremos fazer de nossas vidas, depois da "festa". Enquanto houve alegria, todo mundo esteve aqui, mas depois, o povo desapareceu.
    É sempre assim. Ninguém quer ajudar quando é necessário.

    Beijos da Luz, com carinho para ti e para o teu grande amor, amor maior.
    Boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Olá!Boa noite!
    ...sempre vamos ter mais perguntas do que respostas, então parei de questionar o significado da existência de muita coisa no Mundo...e talvez até a minha própria...
    respondendo:...(?) vidas passadas (?)
    Obrigado!
    Bom início de semana!
    Beijos

    ResponderExcluir