sábado, 13 de outubro de 2012


(...) e nos orgulhamos pela sabedoria de nossos próprios conselhos enquanto lamentamos não ter aprendido a caminhar por entre os vales de nós. Aprendemos a exorcizar os demônios, mas não a amar o próximo. Não atravessamos o luto por festejarmos nossas distrações. Implicamos com o espelho quando desnudos. Tagarelamos para não ouvirmos a nossa própria voz. E nos agarramos à dúvida ao invés de escolhermos certezas ainda maiores. Tudo porque, não temos certeza de nós, não temos certeza de nada.

(Guilherme)

11 comentários:

  1. Magnifica foto e texto de profundidade meditativa e...confesso que gostava de saber quem és...?

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificil resposta Profeta... pq ainda procuro por mim e pelo que sou...e te digo, na maioria das vezes nao me acho e me desconheço...

      Excluir
  2. uma vez alguem me disse: voce tem que saber o quer, e nao o que não quer.

    ResponderExcluir
  3. Eis ai a questao... para sabermos o que queremos,ou nao... precisamos antes de tudo, saber quem somos...

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Boa tarde!
    Tudo bem?
    ...a verdade é que nunca temos certeza de nada e temos que mesmo assim sermos ousados para tentar sempre...
    O desconhecido pode ser fascinante se tivermos clareza e equilíbrio para descobri-lo.Porém , enquanto continuamos a ser uma pessoa egótica, de personalidade múltipla e variável que nada nos satisfaz ou entendemos, nunca teremos um sentido de vida e nunca teremos o prazer de NOS conheceremos por inteiro...
    Obrigado!
    Bom domingo
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ser ousado e tentar, concordo, tudo bem...mesmo pq o ser humano se depara com o desconhecido o tempo todo, desde a hora que acorda e poe os pés no chao, ate a hora de dormir... agora quanto a nos conhecermos por inteiro eu vou ter que discordar, ninguem se conhece o suficiente para ter certeza de como agir ou reagir em situaçoes que exijam de nos uma forte carga emocional,ou situaçoes conflitantes,e isso independe de personalidade multipa ou unica... estamos em constante aprendizado em cada situaçao que a vida nos apresenta, e por isso mesmo podemos ate "supor" que agiriamos dessa ou daquela maneira, mas na hora "H", muitas coisas podem fugir ao nosso controle e talvez agissimos de modo completamente diferente do que esperavamos de nos mesmos... entao... na verdade nao nos conhecemos totalmente, naquela situaçao presente, estaremos aprendendo um pouco mais sobre nos... mas... outras situaçoes virao e ao passarmos por elas descobriremos mais um pouco e assim sucessivamente... por isso discordo do que disse aqui e concordo plenamente com o post de seu blog, onde vc diz: "Sou eu!Que nunca estará pronto, pois as peças do quebra cabeça não se acabam." ...somos quebra cabeça sem termino... nenhum homem se conhece totalmente...nunca...o homem que diz isso esta mentindo ou iludido... enquanto aqui vivermos... enquanto situaçoes novas nos forem apresentadas... dia apos dia, estaremos em constante aprendizado de quem somos, de ate onde somos capazes de ir e de como agiremos...


    Salvo talvez os eremitas que vivem em isolamento, mas isso nao é pq conhecem a si, mas pq vivem em uma rotina ja prevista...

    Bom... isso é como penso... talvez esteja errada e so eu que nao me conheço por inteiro...

    ResponderExcluir
  6. Oi querida Frida,

    Parabéns pela imagem, que escolheste pra encimar e embelezar o texto do Guilherme.
    Tudo o que o autor diz é verdade, em minha opinião.
    Evidentemente, que somos racionais e sabemos nos comportar, refletir e agir, minimamente, em sociedade. Somos seres sociais, embora, por vezes, a sociedade, não entenda, não aceite certas parcelas dela, mas isso é outra história.
    Creio que por vezes, nos sentimos perdidos, sem saber o que vai acontecer a seguir, mas isso não acontece, diariamente, mas sucede, sim.

    É necessária uma introspeção verdadeira: QUEM SOU EU? O QUE FAÇO AQUI? E PARA ONDE VOU OU GOSTARIA DE IR?

    As chamadas minorias, os ciganos, por exemplo, sentem muito esse tal desconhecimento de si próprios, mas isso se deve, sobretudo à rejeição e à não aceitação, por parte da sociedade.
    Se atirarmos uma pedra a um cachorro, num determinado lugar, ele, se lá voltar, vai olhar bem e ver se está lá o "inimigo" ou não.

    Boa semana.
    Beijos da Luz, que muito te aprecia.

    ResponderExcluir
  7. Os textos dele sao muito bons...
    Obrigada pelo carinho de sempre Luz...
    Otima semana para vc tbm...beijos...

    ResponderExcluir
  8. Gostaria de te convidar para curtir e participar da page "JollyRoger 80´s. História para as Massas" no Facebook.

    https://www.facebook.com/JollyRoger80s

    ResponderExcluir
  9. Essa imagem foi de arrepiar.
    Esse texto então, nem se fala.

    Quantas e quantas vezes somos aptos a fazer coisas tão difíceis, mas a coisa mais natural não conseguimos?
    Como é possível criar monstros, construir inimigos, armas, fogo, poder e odiar o próximo com tamanha profundidade?
    É de se envergonhar.

    Belo texto para reflexão.

    Seu blog é ótimo!

    Um beijo, querida.
    Revelando sentimentos

    ResponderExcluir
  10. assino embaixo.
    não temos e não sabemos nem como ter.
    beijoss

    Bípede Falante

    ResponderExcluir