segunda-feira, 13 de agosto de 2012





Às vezes escondo-me no corpo e ninguém me vê.
As pessoas falam comigo e não notam que eu não falo com elas.
Posso até dizer algumas palavras,
posso até exprimir-me num longo discurso,
mas a verdade é que não falo com elas.
Estou escondido algures no meio do meu corpo.


 (Gonçalo M. Tavares)

2 comentários:

  1. Emerticamente fechado numa bela reflexão.
    Otimo poema.
    Grande abraço.
    Bjo.

    ResponderExcluir