sábado, 21 de abril de 2012


Resumo da Vida

Era naquele momento , sob o chuveiro morno, que eu deixava toda minha força de lado, e chorava sozinha e as lágrimas eram misturadas à água que caia . Era uma forma de poupar todos que me amavam de me ver chorar. Sei que nesse momento eles deviam aproveitar para fazer o mesmo.
Lágrimas , água e cabelos pelos ralos desciam, mas levavam consigo sonhos que por vezes achava terem sidos perdidos. A sensação era que minha vida descia aos poucos junto com cada fio. Era meu momento, era o momento em que eu podia chorar pelo que estava sentindo, pelo dor de ter sonhos paralisados, pela imagem refletida no espelho, que não iria ser a mesma, porque toda beleza já se comprometia. Nos braços marcados pelas sessões, eram marcas do inicio da luta pela vida, ainda havia dentro de mim uma força, uma fé , de que ainda era possível sorrir, porque a vida era tão linda, porque eu ainda queria conquistar, levar as crianças a escola, queria escrever as coisas que sempre escrevi sem me importar com que pudessem pensar.
Eu queria somente viver, mas nada. Eu queria me sentir viva, mas nada.
O medo antes gigante , se tornou pequeno diante de mim e minha convicção de que tudo estava sobre controle. E já conseguia sorrir, diante do reflexo de um rosto sem moldura.
Era hora de encarar o mundo, e demonstrar que eu estava me graduando na escola da vida, que estava me tornando uma pessoa melhor, mais apaixonada pela vida, sem vergonha de falar que ama e o que sente.
O câncer me ensinou a ter sentimentos intensos, que o fato de estar sempre sorrindo me fez mais forte, que nunca podemos deixar de falar o que sentimos ou pensamos, me fez ver quem de fato são os amigos, me fez conhecer o preconceito de olhares cruéis de piedade, aprendi a respeitar meu corpo. Aprendi que ser rico não é ter dinheiro, mas sim  ter saúde.
Aprendi que na dor , temos uma lição de vida. Aprendi a conhecer Deus.
Aprendi que quando fechamos os olhos e visualizamos aquilo que amamos a dor passa.
Talvez agora entendam a intensidade do que vivo, do que escrevo, do que falo, porque não sou um rosto bonito, sou alguém que teve ainda jovem a experiência de lutar para viver e sem deixar de sorrir.
Tudo está bem , mas não me peça pra ter superficialidade em nada, porque , sou intensa demais pra isso.
 
Dezyane A Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário